Viagem

Viagem à África do Sul

Esta foto tirada em 1885 mostra as vistas da mítica colina de Lions Head na Cidade do Cabo

No próximo domingo - e se a greve da Iberia permitir - estarei embarcando no T4 de Barajas para colocar indo para Cape Town, com parada anterior em Londres.

Fomos convidados pelo Departamento de Turismo da República da África do Sul para uma feira internacional de design. E lá vou eu. Sim, você pode fechar a boca porque eu também fiquei perplexo quando o convite chegou. Meu conhecimento na área de design - o programa inclui cerâmica, jóias, roupas, pinturas ... - é quase tão profundo quanto o de nosso presidente dos ingleses.

No e-mail recebido, eles deixaram claro que sabiam que esse não era meu campo de conhecimento, mas que eu estava isento de participar dos eventos programados para o resto do grupo e estava livre para vagueiam pela Cidade do Cabo e Joanesburgo - as duas cidades onde o evento acontece - à minha vontade.

África do sul É um país imenso, com 50 milhões de habitantes, onze línguas oficiais, três capitais diferentes e uma mistura racial que marcou sua história sombria durante quase todo o século XX. É o poder do continente negro e representa quase 25% do PIB em toda a África.

Sua cultura, flora e fauna são tão diversas que se pode perder por semanas ou meses tentando conhecer em profundidade este país cujas costas os europeus já navegaram no século XV, mas nos quais não se estabeleceram até 1652, quando os holandeses Eles fundaram o que é agora a Cidade do Cabo.

Você pode imaginar o resto da história. Não passa de um traço do que aconteceu no resto da África. As potências européias começam criando populações costeiras. A África é um território de clima hostil e doenças estranhas que fazem o homem branco fraco perecer. Melhor estar perto da costa, de seus barcos, uma saída rápida para sua amada terra natal.

Mas, quando finalmente entram no continente, encontram ouro, diamantes, marfim ... E o pior de tudo: escravos.

Lendo os livros essas semanas “Caminhos perdidos da África” Javier Reverte, e o aclamado "Ébano" de Ryszard Kapuscinsky um tem vergonha de pertencer à Europa Ocidental.

Os colonizadores saquearam, despovoaram, escravizaram, roubaram, explodiram, torturaram... Em suma, eles foram o pior flagelo da história da África, deixando um estigma psicológico de inferioridade em sua população negra, da qual eles ainda estão tentando se recuperar.

Eles dizem de África do sul que é um país bonito, um símbolo da modernidade e do florescimento econômico na África, que conseguiu deixar para trás sua era mais sombria e olha para o futuro com as maiores ilusões.

Eu, na minha ânsia de descobrir se tudo isso é verdade e também ser capaz de explorar seus tesouros naturais e culturais, estou hesitando em prolongar a minha estadia. A viagem programada só me permitiria conhecer a Cidade do Cabo e Jo'burg e, apesar de agradecer, sempre fui de espaços abertos, montanhas, mares, oceanos, rios, florestas, selvas ou estepes, animais, flores, árvores ... E seres humanos diferentes de mim com quem trocar experiências e aprender.

No entanto, deixo a incerteza sobre se isso será possível ou não.

Estou aguardando a possibilidade de uma entrevista para um trabalho ao qual submeti minha inscrição em Alicante e, com a questão da greve da Iberia, o processo de seleção foi adiado porque as pessoas de recursos humanos tiveram que se mudar de Madri para Alicante.

Estarei atento ao e-mail durante a próxima semana, porque, se eu ficar de fora do processo de seleção, terei uma grande oportunidade de conhecer esse vasto país e talvez um pouco mais da área.

Agora tenho que ir ao parque procurar uma margarida e começar a desfolha-la cantando uma música original: "Vou embarcar no avião de volta, não vou embarcar, vou embarcar, não vou embarcar ...". Vamos ver o que sai!

Não pego meu laptop, mas volto ao clássico e romântico método de caneta e caderno, então você terá que esperar que eu volte - seja lá o que for - para ler meus quadrinhos.

A verdade é que, mesmo sem ter feito a mochila - e sem saber o que colocar, porque os 8 dias programados incluem estadias em hotéis 5 estrelas e restaurantes caros - não tenho a ideia de que segunda-feira que vem amanhecer na ponta sul de um continente do qual nada sei (Exceto por uma breve parada em Casablanca no ano passado).

Fico fascinado com o que li sobre a África, sua história e seu povo. Agora eu quero mergulhar nisso.